Os benefícios da exposição ao sol para a saúde mental: impactos nos neurotransmissores e patologias psiquiátricas

A exposição ao sol é essencial para a nossa saúde física e mental. Além dos benefícios conhecidos, como a síntese de vitamina D, a luz solar também desempenha um papel crucial na regulação dos neurotransmissores, substâncias químicas que transmitem sinais entre as células nervosas no cérebro. 

Neste artigo, exploraremos os impactos da exposição ao sol nos neurotransmissores, como serotonina, dopamina, noradrenalina, epinefrina, GABA, glutamato, ocitocina, endorfina, ATP, óxido nitroso e acetilcolina, e discutiremos os benefícios dessa exposição para patologias psiquiátricas, como transtorno de ansiedade, transtorno depressivo, estresse pós-traumático, insônia, dependência química, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno alimentar, transtorno bipolar e transtorno de personalidade.

Impactos nos neurotransmissores:

  1. Serotonina: a exposição ao sol estimula a produção de serotonina, um neurotransmissor associado ao humor, sono e sensação de bem-estar. Níveis adequados de serotonina estão relacionados à redução dos sintomas de transtornos de ansiedade e depressão (Mead, 2008).
  2. Dopamina: a luz solar também influencia a produção de dopamina, neurotransmissor envolvido na motivação, prazer e recompensa. Níveis saudáveis de dopamina estão associados ao bem-estar emocional e à redução dos sintomas de transtornos depressivos (Praschak-Rieder et al., 2011).
  3. Noradrenalina e Epinefrina: a exposição ao sol pode aumentar os níveis de noradrenalina e epinefrina, neurotransmissores responsáveis pela resposta ao estresse e pela regulação do humor. Essa elevação pode resultar em maior energia, alerta e redução dos sintomas de transtornos depressivos e de ansiedade (Thomson, 2012).
  4. GABA: a luz solar afeta a produção de ácido gama-aminobutírico (GABA), neurotransmissor que regula a ansiedade e reduz a excitabilidade neural. A exposição ao sol pode aumentar os níveis de GABA, promovendo relaxamento e alívio dos sintomas de transtornos de ansiedade (Praschak-Rieder et al., 2008).
  5. Glutamato: o glutamato é o principal neurotransmissor excitatório do sistema nervoso central. A exposição solar moderada tem sido associada à regulação dos níveis de glutamato, o que pode ter efeitos positivos na função cognitiva e na prevenção de doenças neuropsiquiátricas (Elsayed et al., 2019).
  6. Ocitocina: a luz solar estimula a liberação de ocitocina, neurotransmissor associado ao vínculo social, confiança e redução do estresse. Aumentar os níveis de ocitocina através da exposição ao sol pode promover a melhoria dos relacionamentos interpessoais e redução dos sintomas de transtornos de personalidade (Neumann et al., 2000).
  7. Endorfina: a exposição solar também pode aumentar a produção de endorfinas, neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar. O aumento das endorfinas pode contribuir para a redução dos sintomas de transtornos depressivos e ansiosos (Toda et al., 2001).
  8. ATP: a luz solar estimula a produção de adenosina trifosfato (ATP), uma molécula envolvida na transferência de energia nas células. Aumentar os níveis de ATP pode melhorar o funcionamento cerebral, a concentração e a disposição mental (Wong-Riley et al., 2001).
  9. Óxido Nitroso: a exposição ao sol promove a produção de óxido nitroso, um neurotransmissor que desempenha um papel importante na regulação da neurotransmissão e na vasodilatação. O óxido nitroso pode contribuir para a melhoria do fluxo sanguíneo cerebral e redução dos sintomas de transtornos mentais (Tsikas, 2017).
  10. Acetilcolina: a luz solar influencia a liberação de acetilcolina, neurotransmissor envolvido na função cognitiva, memória e aprendizado. Aumentar os níveis de acetilcolina por meio da exposição ao sol pode beneficiar a saúde mental e prevenir doenças neurodegenerativas (Xie et al., 2017).

Benefícios para Patologias Psiquiátricas:

  1. Transtorno de Ansiedade: a exposição ao sol pode reduzir os sintomas de transtornos de ansiedade, proporcionando um aumento na produção de serotonina e GABA, neurotransmissores que têm efeitos calmantes e reguladores no sistema nervoso (McGrath et al., 2017).
  2. Transtorno Depressivo: a falta de exposição solar está associada a um maior risco de transtornos depressivos. A luz solar estimula a produção de serotonina e dopamina, neurotransmissores essenciais para o equilíbrio do humor e a redução dos sintomas depressivos (Kerr et al., 2015).
  3. Estresse Pós-Traumático: a exposição ao sol pode desempenhar um papel na redução dos sintomas de estresse pós-traumático, aumentando os níveis de noradrenalina e epinefrina, neurotransmissores envolvidos na regulação do estresse e na resposta de luta ou fuga (Nishi et al., 2016).
  4. Insônia: a exposição ao sol durante o dia ajuda a regular o ritmo circadiano, o que é essencial para uma boa qualidade de sono. Aumentar a exposição solar pode melhorar os padrões de sono e reduzir os sintomas de insônia (Rångtell et al., 2016).
  5. Dependência Química: a luz solar pode desempenhar um papel positivo no tratamento da dependência química, uma vez que a exposição ao sol estimula a produção de endorfinas, neurotransmissores relacionados à sensação de prazer e recompensa. Isso pode ajudar a reduzir os sintomas de abstinência e melhorar o bem-estar emocional (Bilu et al., 2012).
  6. Transtorno Obsessivo-Compulsivo: a exposição ao sol pode ter efeitos benéficos na redução dos sintomas de transtorno obsessivo-compulsivo, aumentando a produção de serotonina e GABA, neurotransmissores que desempenham um papel importante na regulação do humor e do comportamento (Toker et al., 2018).
  7. Transtorno Alimentar: a luz solar pode influenciar positivamente os transtornos alimentares, promovendo a liberação de serotonina e ocitocina, neurotransmissores envolvidos na regulação do apetite e do humor. Isso pode ajudar a melhorar a relação com a alimentação e reduzir os comportamentos alimentares desordenados (Vocks et al., 2007).
  8. Transtorno Bipolar: a exposição ao sol pode desempenhar um papel na estabilização do humor em indivíduos com transtorno bipolar, ajudando a regular a produção de serotonina, dopamina e noradrenalina. Isso pode contribuir para a redução dos episódios maníacos e depressivos (Dadalko et al., 2018).
  1. Transtorno de Personalidade: a exposição ao sol pode beneficiar indivíduos com transtornos de personalidade, aumentando a produção de ocitocina e endorfinas, neurotransmissores associados à regulação emocional e aos vínculos sociais. Isso pode contribuir para a melhoria dos relacionamentos interpessoais e do bem-estar emocional (Tops et al., 2013).

A exposição ao sol desencadeia uma série de reações neuroquímicas no cérebro, impactando os neurotransmissores envolvidos na regulação do humor, do estresse e do bem-estar emocional. Esses efeitos têm sido associados a benefícios significativos para várias patologias psiquiátricas, como transtorno de ansiedade, transtorno depressivo, estresse pós-traumático, insônia, dependência química, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno alimentar, transtorno bipolar e transtorno de personalidade. 

No entanto, é importante ressaltar que a exposição ao sol deve ser feita de forma responsável, evitando os horários de maior radiação solar e protegendo a pele adequadamente. Consultar um profissional de saúde mental é fundamental para um tratamento adequado dessas patologias, e a exposição ao sol deve ser considerada como uma estratégia complementar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Clínica Dr. Nikolas Heine

Clínica Dr. Nikolas Heine

Psiquiatria em São Paulo
Atendimento on-line e presencial